Aguarde...

viagem-de-graca.jpg
24/jul/2019

Quem nunca ouviu falar que o Brasil tem dimensões continentais, não é mesmo? É por este motivo que é possível encontrar uma vasta diversidade de características culturais, sociais, topográficas e climáticas.

Principalmente as características climáticas podem afetar a saúde de quem costuma desbravar de norte a sul do Brasil e, é por isso, que muitos questionamentos como: “Quais vacinas são necessárias para viajar pelo País?” surgem no momento de decidir onde serão as próximas férias.

Antes de falarmos sobre as vacinas essenciais para viajar pelos estados brasileiros é importante ressaltar que a imunização, baseada no Calendário Nacional de Vacinação do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, é indicada pelo Ministério da Saúde para evitar doenças endêmicas e contagiosas.

Recomendações

  • A vacinação recomendada deve ser realizada primordialmente de seis a oito semanas antes da viagem para garantir a imunização;
  • Vacinar-se deve ser uma prioridade, principalmente se a viagem tiver como destino zonas rurais, florestais ou locais em meio à natureza;
  • As regras sobre vacinação em diferentes países mudam com frequência. Então, antes da viagem fique atento e verifique se há alguma atualização sobre o esquema vacinal para entrar em determinados estados.

Vacinas Essenciais

Vacina Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba e Rubéola)

Esta imunização é a medida preventiva e mais segura para as três doenças. É importante que o esquema vacinal de crianças, adolescentes e adultos esteja completo.

Vacina Febre Tifoide

A vacina contra a Febre Tifoide deve ser essencialmente tomada antes de viajar para o Norte e o Nordeste do Brasil, porque são consideradas regiões em que as condições de saneamento básico ainda não atingiram os padrões ideais.

Vacina Febre Amarela

A vacinação contra a Febre Amarela já faz parte do Calendário Vacinal Básico de qualquer pessoa e é extremamente importante, principalmente para os viajantes que tem como destino os seguintes estados brasileiros: Acre, Amapá, Amazonas, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Veja a lista de municípios brasileiros com recomendação sobre vacinação contra a Febre Amarela.

Agora que você já sabe destas recomendações, faça da sua viagem um grande motivo para cuidar da sua saúde e atualizar a Carteira de Vacinação. Conte com a ImuneLife para aproveitar suas férias com tranquilidade e segurança!

 

Referências

Vacinas para quem vem para o Brasil

http://www.saudedoviajante.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=30

Vacinação antes da viagem

https://www.edestinos.com.br/dicas-de-viagem/passagens-aereas/saude-durante-a-viagem/vacinacao-antes-da-viagem

Veja as vacinas necessárias para viajar pelo Brasil e América do Sul

https://www.guichevirtual.com.br/blog/vacinas-para-viajar/


vacinas-da-Rede-Pública-x-Rede-Privada-1200x800.jpg
24/jul/2019

Tanto as vacinas da rede pública quanto da rede privada garantem proteção, porém há diferenças e uma delas é o laboratório. Muitas vacinas da rede privada são importadas, exemplo disso é a Hexavalente (nas redes privadas), que na rede pública é Pentavalente. Nas clínicas particulares a Vacina Hexavalente costuma ser acelular e conjugada em uma só aplicação.

Outras vacinas disponíveis na rede privada também são mais completas, como a Pneumocócica 13 Valente, a Meningoccócica Quadrivalente (ACWY) e a Meningocócica B.

Há também situações em que a rede pública oferece a vacina somente para uma determinada faixa etária, como é o caso da Vacina contra o HPV, mas na rede particular o fornecimento desta vacina também é feito para adultos.

Para esclarecer melhor o assunto, a ImuneLife separou a diferença entre rede pública e privada das principais vacinas previstas no Calendário Básico Vacinal, além das Vacinas Pneumocócica 13 Valente, a Meningoccócica Quadrivalente (ACWY) e a Meningocócica B. Confira:

Gripe (Influenza)

Anualmente as vacinas contra a gripe são atualizadas, isso porque os agentes imunizantes devem ser ajustados conforme as alterações do vírus e também de acordo com os vírus que mais estão circulando na época. Neste ano, a vacina é a Trivalente, administrada na rede pública, ou Quadrivalente (Tetravalente), adquirida na rede privada.

A diferença entre elas é que a Trivalente protege contra três subtipos de vírus, duas cepas de vírus A e uma cepa de vírus B e a Quadrivalente protege contra quatro subtipos, duas cepas de vírus A e duas cepas de vírus B.

DTPw e DTPa

As vacinas tríplices bacterianas conferem proteção contra as seguintes doenças: Difteria, Coqueluche e Tétano. Na rede pública está disponível a DTPw que é feita a partir de células inteiras da bactéria, enquanto na rede privada existe a versão DTPa que é acelular, ou seja, não é feita com as células inteiras, mas sim com proteínas, por isso é considerada mais “purificada”, contendo apenas o que é necessário para imunização.

Vacina Rotavírus Monovalente e Pentavalente

A vacina rotavírus é composta por vírus vivo e administrada por via oral. Ela pode ser monovalente, oferecida na rede pública, que protege apenas contra um sorotipo de rotavírus, mas oferece proteção cruzada contra outro sorotipo, sendo aplicada em duas doses.

A outra opção é a vacina pentavalente, que está presente na rede privada e confere imunidade contra cinco sorotipos diferentes de rotavírus, sendo aplicada em três doses.

Vacina Hepatite A

A Vacina contra a Hepatite A na rede pública é direcionada apenas para crianças com um ano de idade, entretanto na rede privada, que segue a recomendação da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações),  seis meses após a primeira dose, aplica-se uma segunda, já que uma única dose garante proteção apenas até os 10 anos, já a segunda dose imuniza a pessoa contra a Hepatite A também na fase adulta.

Vacina Varicela

Na rede privada são oferecidas duas doses da vacina que protege contra a Varicela, pois é a segunda dose que de fato protege contra a doença. Na rede pública somente uma dose desta vacina é aplicada, o que não é o suficiente para prevenir a doença e sim proteger contra versões mais graves dela.

 

Referências

As diferenças entre as vacinas da rede pública e privada

https://bebemamae.com/saude-do-bebe/as-diferencas-entre-as-vacinas-da-rede-publica-e-privada

SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações)

https://sbim.org.br/images/files/15-11-19_sbim_clipping_internet_g1_campanha-vacina-e-protecao-para-todos.pdf

https://sbim.org.br/calendarios-de-vacinacao


Copyright Imunelife 2018. Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por www.agenciagenesis.com

WhatsApp chat