Aguarde...

EBbekdTXoAAHEyg-1200x683.jpg
07/dez/2019

Durante a infância tomamos uma vacina atrás da outra e depois ficamos com aquela impressão de que já estamos imunizados contra tudo, porém não é bem assim que funciona. Muitas das vacinas que tomamos nos primeiros anos de vida vão enfraquecendo com o passar dos anos, tornando necessário reforçar algumas doses, além de outras vacinas que precisam ser tomadas periodicamente.

Aproveitando que estamos no mês dos pais e da campanha Agosto Azul, que conscientiza sobre a importância dos homens cuidarem da saúde, neste ARTIGO falaremos sobre sete vacinas essenciais que todo homem deve tomar.

Hepatite B

A hepatite B atinge aproximadamente 500 milhões de pessoas no mundo todo, a maioria homens. É causada pelo vírus HBV, o mesmo causador de todos os tipos de hepatite, porém o tipo B ataca especificamente o fígado, causando infecções e podendo desenvolver um quadro crônico, se não for tratado. É facilmente transmissível, principalmente por relações sexuais.

A Vacina da Hepatite B faz parte do calendário de vacinação infantil e é aplicada em três doses. Os adultos que não tomaram a vacina durante a infância precisarão tomar as três doses com intervalos de um a cinco meses entre cada uma. Quem não lembra de ter tomado também pode repetir a dose sem correr riscos, independente da idade.

Ainda há a possibilidade de tomar a Vacina da Hepatite A e B, que imuniza contra esses dois tipos da doença.

HPV

A Vacina do HPV imuniza contra o perigoso papiloma vírus humano, que causa doenças graves como verrugas genitais e câncer de colo de útero, pênis, ânus e garganta. O vírus é transmitido por relações sexuais e costuma apresentar uma incidência maior em homens.

A vacina bivalente protege contra os tipos 16 e 18 do vírus e a quadrivalente acrescenta proteção para os tipos 6 e 11. A bivalente é recomendada exclusivamente para mulheres, mas a quadrivalente oferece uma proteção mais completa e pode ser tomada por homens de até 26 anos de idade.

Tríplice Bacteriana

A Vacina Tríplice Bacteriana protege contra difteria, tétano e coqueluche, três doenças causadas por bactérias diferentes. Essa é outra vacina que pertence ao calendário de vacinação infantil, mas que deve ser reforçada periodicamente.

Com a vacina dupla é reforçado a proteção contra difteria e tétano, sendo necessária uma dose a cada 10 anos. A vacina tríplice acrescenta a proteção contra coqueluche e estende o intervalo entre as doses para 20 anos.

Herpes-zóster

Quem teve catapora na infância pode ficar com o vírus Varicela-Zóster escondido em algumas células de maneira silenciosa. Com o passar dos anos, principalmente na terceira idade, o vírus pode se manifestar novamente de maneira muito intensa, causando fortes dores no corpo inteiro.

A incidência da doença é comum na terceira idade devido a queda de imunidade que ocorre naturalmente nessa fase da vida. Mais de 60% dos casos de herpes-zóster acontecem após os 50 anos de idade, sendo essa a idade recomendada para tomar a vacina.

Febre amarela

A vacina da febre amarela é indicada para pessoas que vão viajar para fora do país ou moram em regiões de risco da doença. Atualmente a vacina garante imunização definitiva e não é mais necessário reforçar a dose a cada 10 anos. Pessoas de todas as idades que ainda não tomaram a vacina podem se vacinar normalmente.

Influenza

A vacina da gripe deve ser reforçada todos os anos, pois esses vírus mais comuns e facilmente transmissíveis, como o Influenza, estão sofrendo constantes mudanças. Desse modo, a cada ano é necessário atualizar a vacina com novos anticorpos que consigam se defender deste vírus, que já não é mais o mesmo.

Tríplice Viral

Atualmente o Brasil está sofrendo um surto de sarampo, caxumba e rubéola e se vacinar é o melhor jeito de estar totalmente protegido contra o vírus que causam essas doenças. A imunização é garantida pela Vacina Tetravalente, que também protege contra o vírus da catapora.

Essa vacina faz parte do calendário de vacinação infantil, mas adultos de até 49 anos que não foram vacinados também podem tomá-la. Quem tem dúvida se já tomou ou não pode tomar a vacina novamente, pois não há nenhum risco em repetir a dose.

A ImuneLife disponibiliza todas essas vacinas. Reserve já as suas doses e aproveite o mês dos pais com muita saúde e leveza!

 

Referências

https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/vacina-hepatite-b

https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/vacina-hpv4

https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/vacina-pentavalente

https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/vacina-herpes-zoster

https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/vacina-febre-amarela-fa

https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/vacina-gripe-influenza

https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/vacina-triplice-viral-sarampo-caxumba-e-rubeola-scr


data33086890-12350c-1200x780.jpg
07/dez/2019

Por que a vacinação infantil é tão importante?

No ano de 2018, o Brasil registrou o menor índice de vacinação infantil dos últimos 16 anos. A meta do Ministério da Saúde é que ao menos 95% das crianças tomem todas as vacinas necessárias, porém cada vacina está ficando com uma média de 70% a 80% de cobertura, longe de atingir a meta.

Com cada vez menos crianças sendo imunizadas, doenças que já haviam sido eliminadas estão voltando a circular como, por exemplo, o sarampo. A vacinação infantil sempre será indispensável, pois protegem de forma individual e coletiva, evitando que algumas doenças continuem se disseminando.

A importância das vacinas

Quando uma criança nasce, sua imunidade é praticamente inexistente, ou seja, ela ainda não criou nenhum tipo de anticorpo para combater vírus e doenças. Toda criança já possui uma lista de vacinas que devem ser tomadas desde o nascimento, mas é importante que as mães já tomem algumas vacinas durante a gestação. Desse modo, os anticorpos da mãe serão compartilhados com o bebê e ele não nascerá tão desprotegido.

A vacinação é um método de prevenção muito seguro para diversas doenças perigosas como poliomielite e paralisia infantil, que podem causar sequelas graves a longo prazo. Dificilmente gera reações negativas (mas quando ocorre, geralmente, trata-se de uma reação alérgica e um médico deve ser consultado).

Seguindo o calendário de vacinas corretamente, a imunidade do seu filho é garantida na idade mínima e ideal para o corpo reagir adequadamente aos anticorpos sem comprometer o seu desenvolvimento.

Vacinas obrigatórias

Os recém-nascidos devem começar tomando duas vacinas: a BCG (Bacilo Calmette-Guerin) e a da Hepatite B. A BCG imuniza contra os principais tipos de tuberculose, incluindo os mais perigosos, como a miliar e a meníngea. Ambas possuem uma única dose.

Aos dois meses devem ser tomadas as primeiras doses de quatro vacinas: Pentavalente, protege contra tétano, difteria, coqueluche e reforça a vacina de hepatite B; VIP (Vacina Inativada Poliomelite), que protege contra poliomielite e paralisia infantil; Pneumocócica Conjugada 13, que garante imunização contra pneumonia, meningite e otite e Rotavírus Pentavelente, que protege contra os sintomas causados pelo rotavírus.

Lembrando que a segunda dose de todas essas vacinas deve ser aplicada no quinto mês e no sexto mês de vida da criança também há a terceira dose da Pentavalente e da VIP.

Aos três meses de vida do bebê a primeira dose da Meningocócica ACWY deve ser tomada e reforçada no quinto mês. Com nove meses é necessária a dose única da vacina da Febre Amarela e, completando um ano de vida, deve ser aplicada a primeira dose da Tríplice Viral, que protege contra o sarampo, a rubéola e a caxumba e os reforços da Pneumocócica e da Meningocócica.

Com 15 meses (um ano e três meses) há mais dois reforços: da DTPW, também chamada de Tríplice Bacteriana e da VOP (Vacina Oral Poliomelite). Já no décimo quinto mês também são tomadas as doses únicas da vacina de Hepatite A e a Tetra Viral, que protege contra sarampo, rubéola, caxumba e catapora.

Aos quatro anos de idade deve ser tomado o segundo reforço da DTPW e da VOP e duas doses da Varicela Atenuada, que protege contra a catapora.

Não deixe de atualizar o calendário de vacinas do seu filho e garantir que ele fique protegido contra essas doenças desde os primeiros meses de vida. A ImuneLife disponibiliza todas essas vacinas e muitas outras para crianças, adolescentes e adultos. Entre em contato e garanta a sua saúde, do seu filho e de toda a sua família!

 

Referências

http://www.enciclopedia-crianca.com/vacinacao/segundo-especialistas/vacinacao-infantil

http://www2.ebserh.gov.br/web/hu-ufsc/noticias/-/asset_publisher/kolvfeKgK2VF/content/id/3381141/2018-08-ministerio-da-saude-alerta-para-importancia-da-vacinacao

https://sbim.org.br/images/calendarios/calend-sbim-crianca.pdf

http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/vacinacao/calendario-vacinacao

https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/06/vacinacao-de-criancas-no-pais-atinge-indice-mais-baixo-em-16-anos.shtml


HEAD-PARA-ARTIGOS-2.jpg
07/dez/2019

Durante a gravidez, boa parte dos anticorpos da mãe é transferida para o seu bebê, o que já garante alguma proteção ao pequeno antes mesmo dele vir ao mundo. Essa troca de anticorpos não para por aí! A mãe continua protegendo o seu filho por meio da amamentação e mantendo seu sistema imunológico funcionando corretamente.

Além disso, a gestante é mais vulnerável a doenças bacterianas e vírus dos mais comuns aos mais graves, assim como o bebê que fica mais suscetível a doenças principalmente nos seus seis primeiros meses de vida. Por isso, é tão importante que as mulheres se vacinem durante a gravidez e após o parto.

Quanto mais proteção a mãe tiver na gestação, melhor será o sistema imunológico do seu bebê! Para ajudar nesta tarefa, separamos abaixo quais são as vacinas essenciais previstas no Calendário Vacinal da Gestante, confira:

Vacina Influenza (Gripe)

O vírus influenza é uma das maiores ameaças para as gestantes, pois é muito comum e pode ser encontrado por toda a parte. Nas gestantes, a gripe se manifesta com sintomas mais graves e podem representar um grande risco se não for devidamente tratada.

A Vacina da Influenza pode ser tomada em qualquer fase da gestação e possui duas variações: a trivalente e a tetravalente. A trivalente protege contra duas variações do tipo A e uma do tipo B, enquanto a tetravalente garante proteção contra uma variação a mais do tipo B. A única contraindicação é para mulheres que são alérgicas a ovo. Em qualquer outro caso a vacina não oferece riscos.

Vacinando-se contra a gripe, a futura mamãe não só garante a sua proteção, assim como a do seu bebê contra o vírus Influenza, pois os seus anticorpos podem ajudá-lo a se proteger do vírus nos primeiros meses de vida. Lembrando que a vacina da gripe só é recomendada para crianças após os seis meses de idade.

Vacina Hepatite B

Assim como a gripe, a Hepatite B também traz sintomas passageiros, porém muito mais fortes em grávidas devido ao seu sistema imunológico fragilizado. Muitas mulheres contraem a Hepatite B e nem suspeitam disso, o que pode ser um perigo para o bebê, já que o vírus pode ser transmitido durante a gravidez ou no momento do parto. Um bebê recém-nascido com Hepatite B tem 90% de chances de desenvolver uma hepatite crônica, por isso é tão importante que a mamãe tome essa vacina.

O esquema completo da Vacina Hepatite B consiste em três doses (0-1-6 meses). Se a gestante tiver recebido uma ou duas doses, deverá completar o resto do ciclo durante a gestação, não sendo necessário fazer o esquema desde o início. Lembrando que, independente de quantas doses precisar tomar, a vacina só pode ser aplicada a partir do quarto mês de gestação.

Vacinas DT ou dTpa

Também chamadas de dTpa (Tríplice Bacteriana Acelular do Tipo Adulto) e DT (Dupla Tipo Adulto), a primeira protege contra três doenças bacterianas: tétano, coqueluche e difteria, enquanto a segunda protege apenas contra a difteria e o tétano.

Assim como nos outros casos apresentados aqui, todas essas doenças também podem ser transmitidas de mãe para filho, por isso que a imunidade da gestante também garante a proteção do bebê após o nascimento.

Caso a mulher já tenha tomado essa vacina antes da gestação, o restante é mais fácil. Mas se não houver imunização, será necessário primeiro tomar duas doses da DT, com intervalo de 30 dias entre uma e outra. Se apenas uma dose foi tomada antes da gestação, deve-se tomar outra para reforçar os anticorpos.

Se as duas doses já foram tomadas antes de engravidar, uma única dose da dTpa já garante a proteção. O Ministério da Saúde ainda recomenda que essa dose seja tomada entre a 27ª e a 36ª semana (entre o sexto e o nono mês) de gestação, pois há mais compartilhamento de anticorpos nesse período e o bebê fica mais protegido.

Essas três vacinas são indispensáveis para todas as gestantes e garantem uma gravidez e um pós-parto muito mais saudável. Caso ainda não tenha tomado alguma dessas vacinas, venha atualizar o seu Calendário Vacinal da Gestante na ImuneLife!

 

Referências

https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/problemas-de-sa%C3%BAde-feminina/uso-de-medicamentos-durante-a-gravidez/uso-de-medicamentos-durante-a-gravidez

https://estudogeral.uc.pt/bitstream/10316/31435/1/TFINAL_MarianaPinto.pdf

https://bebe.abril.com.br/gravidez/as-vacinas-indispensaveis-na-gravidez-e-no-pos-parto/

https://saude.abril.com.br/familia/as-vacinas-indispensaveis-na-gravidez-mas-que-sao-pouco-tomadas/


GettyImages-695611488-1200x800.jpg
07/dez/2019

Clima de volta às aulas é sempre aquela correria. Entre organizar a rotina e preparar o seu filho para o retorno à escola, existe um detalhe que por vezes pode passar despercebido: a vacinação.

Um ambiente com muitas crianças juntas, fazendo as mais diversas atividades, desde brincar até dividir comida, eventualmente, sem lavar as mãos é a situação perfeita para bactérias e vírus agirem desenfreadamente. E é por isso que a vacinação é imprescindível antes do retorno às aulas.

Com a finalidade de ajudar você a preparar o seu pequeno para esse dia tão esperado, listamos aqui as vacinas que devem fazer parte do calendário vacinal de qualquer criança:

Tetra Viral

Uma criança com Sarampo pode transmitir o vírus para qualquer outra que tenha contato, e o único método de prevenção é por meio da vacinação. Se seu filho tiver de um a seis anos e ainda não for imunizado, ele precisa tomar a vacina Tetra Viral, que garante proteção não só contra o sarampo, mas também contra a rubéola, caxumba e catapora.

BCG

Crianças de até cinco anos precisam tomar a Vacina BCG, que protege contra os tipos mais perigosos de tuberculose. O mais indicado é que a vacina seja aplicada anualmente, desde o nascimento até os cinco anos de idade. A transmissão da tuberculose é direta.

Influenza

Por mais irrelevante que uma gripe possa parecer, ainda é necessário vacinar seu filho para que ele não tenha que perder dias de aula se recuperando. A vacina garante proteção contra três tipos do vírus influenza:  o A, B e C, sendo o tipo A o mais fácil de ser transmitido de pessoa para pessoa. Crianças de seis meses até cinco anos devem tomá-la anualmente.

Meningocócica

A vacina meningocócica conjugada quadrivalente garante proteção definitiva contra os quatro tipos de meningite: A, C, W e Y. A doença é transmitida por vírus ou bactérias e pode causar diversos sintomas diferentes, dependendo do tipo de meningite. Para que o seu pequeno não corra este risco, é essencial que a vacina ACWY seja tomada o quanto antes.

Agora que as aulas já tiveram início, evite maiores problemas. Caso o seu filho ainda não tenha tomado essas vacinas, providencie o quanto antes a atualização do cartão vacinal infantil. A ImuneLife pode te ajudar nesta tarefa!

 

Referências

https://familia.sbim.org.br/seu-calendario/crianca

https://blog.drconsulta.com/2017/05/31/13-vacinas-para-criancas-que-seu-filho-nao-pode-deixar-de-tomar/

https://revistacrescer.globo.com/Voce-precisa-saber/noticia/2015/02/atencao-vacinacao-do-seu-filho-na-volta-aulas.html


2018-02-05_03-1200x800.jpg
07/dez/2019

Vacinar-se é uma atitude individual, mas que faz um grande bem coletivo, pois é a forma mais eficiente de controlar epidemias de diversas doenças transmissíveis e imunopreveníveis. A vacinação, primordialmente, deve ser seguida à risca, e toda a população, independente da faixa etária, deve estar imunizada.

Lembrando que no Brasil temos um calendário vacinal para diversos grupos, basta identificar e atualizá-lo sempre que necessário.

Vacinação em grupo

É pensando na comodidade e facilidade dos nossos clientes, que a ImuneLife trabalha com a Vacinação em Grupo, que pode ser solicitada por empresas, escolas e condomínios.

Sabemos que ambientes maiores e que existe maior contato físico faz com que as pessoas fiquem mais suscetíveis a possíveis problemas de saúde, alguns que, facilmente, podem ser prevenidos por meio da imunização.

Desta forma, realizamos a atualização dos cartões de vacinação, assim como campanhas especialmente voltadas para a necessidade de cada instituição. Dentre os principais benefícios e vantagens destes serviços podemos destacar:

Escolas

  • Melhora na qualidade de ensino, porque reduz o absenteísmo, melhorando o aproveitamento do aluno;
  • Promove melhorias na organização administrativa, porque garante menos reposições de aulas, realocação de classes ou horários e notificações a órgãos governamentais devido a doenças endêmicas;
  • Redução do risco de mortalidade e morbidade por certas doenças como: Varicela, Hepatite A e Sarampo;
  • Além dos alunos, a vacinação escolar previne também os funcionários da escola de algumas doenças próprias da infância, mas que quando afetam adultos geralmente se tornam mais agressivas.

Domicílio

  • Promove comodidade e conforto às pessoas com dificuldade de locomoção e também beneficia todos que queiram receber a vacina em sua própria casa;
  • O serviço é realizado por profissionais da saúde qualificados e instrumentalizados, que seguem rigorosamente as normas de transporte, conservação, manuseio e aplicação de vacinas;
  • A vacinação domiciliar é realizada com a mesma segurança e higiene encontradas na Clínica ImuneLife.

Empresarial

  • A vacinação empresarial atende as necessidades específicas de cada empresa;
  • Protege a saúde dos funcionários e ainda reduz o absenteísmo, aumentando a produtividade e resultados da empresa;
  • Este atendimento pode ser realizado em empresas de pequeno, médio e grande porte.

Segurança na vacinação

A Vacinação em Grupo da ImuneLife segue todas as diretrizes previstas por órgãos como a OMS (Organização Mundial da Saúde), que determina o uso das vacinas como instrumento de medicina coletiva; Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Vigilância Epidemiológica, CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde) e SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações).

Quer contratar algum destes serviços? Entre em contato com a ImuneLife!


Copyright Imunelife 2018. Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por www.agenciagenesis.com

WhatsApp chat