Aguarde...

data33086890-12350c-1200x780.jpg
07/dez/2019

Por que a vacinação infantil é tão importante?

No ano de 2018, o Brasil registrou o menor índice de vacinação infantil dos últimos 16 anos. A meta do Ministério da Saúde é que ao menos 95% das crianças tomem todas as vacinas necessárias, porém cada vacina está ficando com uma média de 70% a 80% de cobertura, longe de atingir a meta.

Com cada vez menos crianças sendo imunizadas, doenças que já haviam sido eliminadas estão voltando a circular como, por exemplo, o sarampo. A vacinação infantil sempre será indispensável, pois protegem de forma individual e coletiva, evitando que algumas doenças continuem se disseminando.

A importância das vacinas

Quando uma criança nasce, sua imunidade é praticamente inexistente, ou seja, ela ainda não criou nenhum tipo de anticorpo para combater vírus e doenças. Toda criança já possui uma lista de vacinas que devem ser tomadas desde o nascimento, mas é importante que as mães já tomem algumas vacinas durante a gestação. Desse modo, os anticorpos da mãe serão compartilhados com o bebê e ele não nascerá tão desprotegido.

A vacinação é um método de prevenção muito seguro para diversas doenças perigosas como poliomielite e paralisia infantil, que podem causar sequelas graves a longo prazo. Dificilmente gera reações negativas (mas quando ocorre, geralmente, trata-se de uma reação alérgica e um médico deve ser consultado).

Seguindo o calendário de vacinas corretamente, a imunidade do seu filho é garantida na idade mínima e ideal para o corpo reagir adequadamente aos anticorpos sem comprometer o seu desenvolvimento.

Vacinas obrigatórias

Os recém-nascidos devem começar tomando duas vacinas: a BCG (Bacilo Calmette-Guerin) e a da Hepatite B. A BCG imuniza contra os principais tipos de tuberculose, incluindo os mais perigosos, como a miliar e a meníngea. Ambas possuem uma única dose.

Aos dois meses devem ser tomadas as primeiras doses de quatro vacinas: Pentavalente, protege contra tétano, difteria, coqueluche e reforça a vacina de hepatite B; VIP (Vacina Inativada Poliomelite), que protege contra poliomielite e paralisia infantil; Pneumocócica Conjugada 13, que garante imunização contra pneumonia, meningite e otite e Rotavírus Pentavelente, que protege contra os sintomas causados pelo rotavírus.

Lembrando que a segunda dose de todas essas vacinas deve ser aplicada no quinto mês e no sexto mês de vida da criança também há a terceira dose da Pentavalente e da VIP.

Aos três meses de vida do bebê a primeira dose da Meningocócica ACWY deve ser tomada e reforçada no quinto mês. Com nove meses é necessária a dose única da vacina da Febre Amarela e, completando um ano de vida, deve ser aplicada a primeira dose da Tríplice Viral, que protege contra o sarampo, a rubéola e a caxumba e os reforços da Pneumocócica e da Meningocócica.

Com 15 meses (um ano e três meses) há mais dois reforços: da DTPW, também chamada de Tríplice Bacteriana e da VOP (Vacina Oral Poliomelite). Já no décimo quinto mês também são tomadas as doses únicas da vacina de Hepatite A e a Tetra Viral, que protege contra sarampo, rubéola, caxumba e catapora.

Aos quatro anos de idade deve ser tomado o segundo reforço da DTPW e da VOP e duas doses da Varicela Atenuada, que protege contra a catapora.

Não deixe de atualizar o calendário de vacinas do seu filho e garantir que ele fique protegido contra essas doenças desde os primeiros meses de vida. A ImuneLife disponibiliza todas essas vacinas e muitas outras para crianças, adolescentes e adultos. Entre em contato e garanta a sua saúde, do seu filho e de toda a sua família!

 

Referências

http://www.enciclopedia-crianca.com/vacinacao/segundo-especialistas/vacinacao-infantil

http://www2.ebserh.gov.br/web/hu-ufsc/noticias/-/asset_publisher/kolvfeKgK2VF/content/id/3381141/2018-08-ministerio-da-saude-alerta-para-importancia-da-vacinacao

https://sbim.org.br/images/calendarios/calend-sbim-crianca.pdf

http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/vacinacao/calendario-vacinacao

https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/06/vacinacao-de-criancas-no-pais-atinge-indice-mais-baixo-em-16-anos.shtml


Copyright Imunelife 2018. Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por www.agenciagenesis.com

WhatsApp chat